Intestino: Porque ele é considerado o nosso segundo cérebro?

Por Booz Kombucha    |    14 de dezembro de 2016
O cérebro é o principal órgão do nosso sistema nervoso. Extremamente complexo, ele possui aproximadamente 86 bilhões de neurônios e é responsável por nossas funções motoras, além de nossa capacidade de aprendizado e percepção.

O que muita gente não sabe é que existe outro órgão do nosso corpo que também carrega bilhões de neurônios e dezenas de neurotransmissores: o nosso intestino!

Isso mesmo! E isso significa que ter um intestino saudável não traz apenas benefícios para o seu corpo, mas também para a sua mente. Nesse artigo você entende melhor porque o intestino é considerado o nosso segundo cérebro:

 
A origem do seu segundo cérebro


​Para explicar como esse processo teve início, basta estudarmos um pouquinho sobre a nossa evolução.

Seres humanos são máquinas biológicas movidas a energia, mas antes mesmo de adquirirmos a capacidade de nos alimentar, nossas versões primitivas encontraram outras formas de obter essa energia para sobreviver, e uma delas foi desenvolvendo uma rede de neurônios no sistema digestivo.

Milhares de anos se passaram, e essa rede foi evoluindo e encontrando formas cada vez mais sofisticadas para extrair energia, até se tornar o que hoje é conhecido como o sistema nervoso entérico (SNE).

Mas você deve estar se perguntando: o que isso tem a ver com o meu cérebro e com o meu rendimento? Portanto é hora de falarmos das...

As bactérias do bem


Além de extrair energia, o nosso intestino também serve de abrigo para mais de 300 espécies diferentes de bactérias que também se alimentam da comida que nós comemos. Apesar de parecer uma afirmação assustadora, precisamos lembrar que nem todas as bactérias existentes são nocivas a nossa saúde.

Esse grupo de microrganismos localizados no seu intestino, mais conhecidos como microbiota, na verdade são benéficos para digestão dos alimentos! E não é só isso: algumas delas podem alterar o funcionamento da sua mente para melhor de acordo com o que você come!

Em 2011, cientistas da Universidade Cork, na Irlanda, começaram a notar diversos efeitos benéficos causados pela ingestão de uma bactéria da espécie Lactobacillus rhamnosus em ratos de laboratório. Os ratos que ingeriram essa bactéria (presente em um tipo de “iogurte turbinado”) apresentaram maior disposição para realizar atividades e níveis menores de estresse.

A partir desses dados foi possível comprovar que a microbiota presente no intestino pode se comunicar com o nosso cérebro, e que as bactérias presentes no iogurte realmente influenciaram o funcionamento do sistema de neurônios intestinais dos ratos.
 
Como o intestino ajuda a sua mente?


Para testar se os efeitos eram os mesmo nos humanos, esses cientistas realizaram exames de ressonância em pessoas de ambos os sexos e o resultado foi impressionante: as bactérias do intestino modificaram as funções cognitivas e até mesmo regiões responsáveis por processar as nossas emoções.

A velha máxima do “você é o que você come” se provou completamente verdadeira! E entre os benefícios da ingestão dessas “bactérias do bem”, estão:
 
  • Menores níveis de ansiedade e estresse
  • Melhora no humor e disposição
  • Maior produção de vitaminas K, B12 e B6
  • Menores chances de desenvolver problemas neurológicos
  • Maiores níveis de concentração

Por isso fique atento: uma dieta rica em gordura, por exemplo, aumenta a produção de bactérias ruins enquanto mata as boas, podendo provocar o efeito inverso de todos esses benefícios citados acima, além de aumentar as chances de gases e problemas abdominais.

Como obter essas "bactérias do bem"?


Uma das maneiras mais comuns de obter essas bactérias tão importantes para o seu corpo é através dos probióticos, que são produtos que possuem microorganismos vivos como base.

Os probióticos são vendidos em forma de iogurtes, alguns queijos e bebidas fermentadas como o Kombucha, além de ajudarem em nossa flora intestinal, combatem doenças bucais, minimizam inflamações, e auxiliam no controle do colesterol e pressão arterial.

Portanto, se você está procurando uma alternativa saudável para melhorar o seu rendimento, humor e disposição, investir em probióticos é uma ótima opção. Lembrando que para aproveitar esses benefícios ao máximo, o consumo desse tipo de alimento deve ser acompanhado de uma dieta balanceada e que atenda as necessidades do seu corpo!

Gostou de descobrir o seu segundo cérebro? Então conta pra gente o que você achou da postagem aqui nos comentários!


​​

receba nossas novidades

Obrigado, recebemos seu email!
Ops, algo deu errado. Verifique o email digitado.